6 de dez de 2010

Ocupação/performance Recepção para o Nada (29ª Bienal de São Paulo)

Na recepção, onde se aspira a um encontro marcado, se encontra o nada como espaço expandido para o sensível. Durante 5 dias vai se instalar uma obra composta por uma instalação mutante onde varias performances trabalharão o cotidiano deslocado. Do homem burocrático representado e desmontado até o ápice de sua própria existência.

Clique no link abaixo para ver vídeo:

Volumetrias




                                                                                          
[fotos: Marcus David]

21 de nov de 2010

Marco Paulo Rolla e Dudude: Disiquilíbrio | Mostra Sesc de Artes 2010

23 novembro 2010, terça-feira, às 21h, no Sesc Pompéia.


Programação completa: www.sescsp.org.br/mostra



Disyquilíbrio [foto Joacélio Batista]

26 de out de 2010

REALIDADE E ILUSÃO - 2010 - nova performance apresentada na ocupação Recepção para o Nada - 29 Bienal de São Paulo - de 20 a 24 de novembro foram apresentadas 17 performances.

Um homem nu se dirige à geladeira onde encontra o alimento, entre o espelho e a geladeira se depara com sua fantasia e sua realidade.



6 de out de 2010

RECEPÇÃO PARA O NADA

MARCO PAULO ROLLA - 29 BIENAL DE SÃO PAULO DE 20 A 24 DE OUTUBRO - 2010



PROGRAMA :  recepção para o nada

09h00  – Vídeos: “Fio Condutor”, “Trans” e “Deformador analógico”.

Performances:
14:30  – Homens de Preto - com Marco Paulo Rolla, Inácio Ribeiro e Marcus David
15:30 – Homem Escutando a Terra - com Marco Paulo Rolla
16:30 – Homens de Preto – com Marco Paulo Rolla, Janaina Tábula, Marcus David e Inácio Ribeiro
17:30 – O visível e o invisível – com Marco Paulo Rolla


Dia 21 –
09h00 - Vídeos: “Confortável”, “Café da manha” e “Objetos do desejo”

16h00 – Homens de Preto – com Marco Paulo Rolla
17h00 – Menina de estimação / Narciso – com Marco Paulo Rolla e Janaina Tábula
18h00  - Homens de Preto - com Marco Paulo Rolla, Anderson Gouvêa, Janaina Tábula, Inácio Ribeiro e Marcus David
20h00 - Concerto Distorcido – com Marco Paulo Rolla, Inácio Ribeiro e Marcus David

Dia 22

09h00 - Vídeos: “Confortável”, “Café da manha” e “Objetos do desejo”

16h00 – Homens de Preto – com Marco Paulo Rolla
18h30 - Homem de Preto uma canção na vitrola – com Marco Paulo Rolla
20:00 - Cama;mesa;escada – com Marco Paulo Rolla

Dia 23
09h00 - Vídeos:  “Atravessando Verônica”, “Canibal” e “Solidão do fauno”

13h00 – Homens de Preto – com Marco Paulo Rolla, Anderson Gouvêa, Mariana Sucupira, Inácio Ribeiro, Marcus David, Gabriela Gehrke e Janaina Tábula
15 hs -  Realidade e Ilusão – com Marco Paulo Rolla
17:00 – Suando e Resistindo – com Marco Paulo Rolla, Anderson Gouvêa, Mariana Sucupira.

Dia 24
09h00 - Vídeos:  “3 paisagens”

13h00 – Homens de Preto – com Marco Paulo Rolla, Anderson Gouvêa, Mariana Sucupira, Inácio Ribeiro, Marcus David, Gabriela Gehrke e Janaina Tábula

14h30 – Volumetrias – com Marco Paulo Rolla, Anderson Gouvêa, Mariana Sucupira, Inácio Ribeiro, Marcus David, Gabriela Gehrke, Janaina Tábula e Daniel Fagundes

15h30 – Imersão, transbordamento e Resistência - com Marco Paulo Rolla, Anderson Gouvêa, Mariana Sucupira, Inácio Ribeiro, Gabriela Gehrke, Janaina Tábula e Daniel Fagundes

1 de jul de 2010

26 de jan de 2010

SUANDO e RESISTINDO 2009 - Verbo - performers: Marco Paulo Rolla, Anderson Gouvea e Mariana Sucupira.Duração:50 min

50 taças de vidro são dispostas na sala formando 3 nichos. 3 corpos nus se colocam em baixo da lampada quente e começa um jogo de tempo, som e energia. Em movimentos repetitivos os performers chocam os copos até sua resistência maxima, provocando a quebra, o acaso e o risco. O som é espandido por captadores fazendo do trabalho um fenômeno musical.




fotos Ding Musa

A peformance e a construção de uma imagem signo

Vamos começar a pensar a performance por vias de um desvio de entrada. A pergunta pela qual nos guiaremos será:

Que imagem constrói uma performance?

Ao invés de perguntarmos pelo significar, em primeiro plano, tentaremos perceber a imagem formada e daí os signos de uma constelação cognitiva. E essas cognições vêm recheadas de sentidos, tanto no sentido do sensível quanto no sentido direcional de apontamento. Uma cognição mista entre a razão e a emoção.

O signo proclama o enigma como sua fonte vital; na arte é do enigma que se extraem as perguntas, o desejo de se relacionar com o objeto. O enigma doa à estética formal sua energia expandida. Sem esse dado o objeto artístico se tornaria opaco, impermeável, sem a menor possibilidade de reflexão no outro, perdendo assim o sentido do humano.